sexta-feira, 5 de julho de 2013

03:18H 06/07/2013

Não tenho nada para dizer e ao mesmo tempo há tanto para dizer... Não sinto nada, e sinto tanto. Na verdade nunca soube bem em que termo estou, nem sequer gosto de meias palavras mas, tenho esta mania de falar em meios termos, e em meias palavras, ninguém entende, só eu, e ás vezes não tenho bem a certeza se eu entendo o que digo e o que penso... Sinto que estou sempre a pedir algo ao mundo, peço tanto e nunca tive nada do que pedi e eu não sei correr atrás, nunca soube, fico sempre no meu canto. E o pior é que não há como correr atrás, e acho que também esperar não é bem a solução e então o que faço? Falta tanta coisa na minha vida para ser chamada de vida propriamente. E falta tanto de mim, vou perdendo certos traços, outros são levados á força, outros vão-se desgastando, apagando-se assim, sem mais nem menos. Estou farta, estou sempre farta, ás vezes sei porquê, outras vezes nem tanto mas isso não interessa, o que interessa é que sinto-me no limite, todos os dias me sinto no limite, e até há dias em que me sinto a cair fora destes limites e a cruzar os dedos para me aguentar, para não cair. Não é assim que devia ser, pedir sei lá a quem, sei lá a quê, por felicidade. Eu bem sei que a felicidade não se pede, mas eu peço na mesma, porque preciso, porque quero, porque faz falta e porque já nem sei bem o que é ao certo. Cada vez faço menos sentido, a sério que não entendo e não aguento isto, esta vida.

Sem comentários:

Enviar um comentário