terça-feira, 14 de maio de 2013

Seguir o vento parece impossível mas aí vemos-nos a viver ao sabor dele mesmo, e a dançar com ele, e damos por nós abraçados à brisa, tal que, vamos seguindo os assobios do vento e deixando a alma a flutuar nas linhas invisíveis do sopro das estrelas.



Sem comentários:

Enviar um comentário