domingo, 9 de dezembro de 2012

divagar.


Sempre ouvi dizer: “ Põe tudo de ti, em tudo o que faças.”. Confesso e com vergonha que não dou tudo de mim, já tenho tão pouco ou nada que me custa profundamente dar o que me resta. Não consigo. À parte do que sou, penso que não há mais nada em mim. Tenho uma só alma, com faces que nunca vi, faces que nunca mostrei, e tantas faces que nem me atrevo a contá-las, mas, tudo o que sou está enterrado até ao fundo num buraco qualquer da minha alma e não o queria de outra forma, quero-a para mim e recuso-me a que alguém lhe toque.
Não posso deixar que me tirem isto ou aquilo, porque já não sou inteiramente, já cá faltam pedaços que dei e que nunca devolveram, que a vida nunca devolveu… Quem rouba não devolve! Sei também que perco muito porque sou cobarde e também deixo muito de mim para trás porque sou egoísta e não suporto um coração pesado e até às vezes sou eu quem roubo de mim como se não merecesse, como se não fosse digna de o ter. E não dando nada de mim tudo me foge, e depois de perder toda a essência sei que preciso de dar mais de mim, mesmo que de nada sirva, mesmo que seja quimera. É necessário. E é necessário sonhar, mesmo que eu não o saiba fazer e é preciso viver mais do que é preciso sofrer e eu rendendo-me completamente á dor sou consciente de que, dar-me á vida não pode estar errado mesmo que não sobre mais nada…
Põe tudo de ti, em tudo o que faças, em todos os sonhos, em todas a palavras e em todos os gritos e até no silêncio, mas põe tudo de ti.

4 comentários:

  1. [ Não tenhas vergonha, porque ninguém dá tudo de si querida ]

    ai que cena xD conheces o Diogo? Eu dantes estava sempre enfiada em cabeceiras, mas agora já não vou ai desde janeiro :O
    que mundinho pequenooooooooooo :))

    ResponderEliminar
  2. Agora já sabes xD
    Se não é incomodo quantos anos tens?

    ResponderEliminar
  3. Sim !
    Não precisas de agradecer, só disse a verdade =)
    Oh *.*
    Obrigada!

    ResponderEliminar