sexta-feira, 13 de maio de 2011

Cortam-se-me os sonhos
Os sonhos do que é apenas vaguear
Somente divagar
Caiem, caiem esses sonhos, de ver sol
Dessa felicidade monótona...
Porque jamais, em todo o tempo
Se o sol brilhar...
Jamais serei feliz, se nunca
Em nenhum momento eu me perdi
De dor, de sofrimento!
Jamais, se os raios iluminarem
Toda a Terra...
O mundo foi feliz.
Pois não podemos nunca
Agradecer a luz, o brilhar
Se nunca vimos a noite cair, desmaiar...

2 comentários: