sábado, 23 de abril de 2011

Não sei, solidão.

Não sei, solidão, se te quero para mim
Se te quero do vento que me acompanha
Que me desenha as estrelas no olhar
Que me arrasta pelo topo da montanha

Não sei, solidão, se sou eu só
Se tenho outros eus
Ou se apenas meu coração deseja
Um pequeno brilho dos olhos teus

Não sei, solidão, se te quero para mim
Se te tive, se te deixei perder
Se te abraçei de um desejo de te ter
Só para não me sentir só, numa solidão sem fim.

Leva-me solidão, num destino perdido
Para longe de mim própria
Para longe deste vidro partido
Deste vidro, deste orgão
Para longe deste, que é meu coração.

4 comentários:

  1. estou mesmo princesa :)
    adorei, adoro o teu blog, acho que já te disse isto muitas vezes :p beijinho

    ResponderEliminar