sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Amigos, humanidade, mudança.

È estranho como as coisas mudam, esta é a prova como o mundo gira, como nos vira vezes e vezes ao contrário, como nos revira de demasiadas maneiras.
Fico surpreendida todos os dias, pela negativa, com as pessoas que me rodeiam, nem consigo acreditar.
Todos têm sempre algo a dizer sobre o próximo e não só os outros, eu também, todos possuímos maldade e o facto de isso ser completamente verdade incomoda-me, não gosto da maldade que existe nas pessoas, da maldade que existe em mim também, sou humana e felizmente imperfeita, a ideia de perfeição assusta-me profundamente.
Às vezes apetece-me simplesmente explodir de palavras, de verdades, mas não o faço, tenho medo de magoar as pessoas, só algumas.
Depois de apenas dezasseis anos de vida, num pequeno gesto giratório do meu olhar reparo que amigos tenho muitos, uns assim, outros de outra maneira, todos eles diferentes, mas amigos verdadeiros, são escassos, mesmo escassos, antes pareciam mais, parecia até que separar-me deles me mataria por dentro, não é verdade, constatei que continuo perto deles e na verdade quebramos ligações, os amigos verdadeiros perderam-se lado a lado. Agora, sei que os verdadeiros amigos que tenho são mesmo poucos, podia até contá-los com os dedos de uma só mão e sobrariam. São poucos e por isso mesmo lhes dou o valor que dou, e estes eu sei que vá eu onde vá serão sempre a verdadeira amizade, serão sempre o pilar.
Não culpo os outros por se afastarem sem o saberem, culpo a humanidade por ter mudado, por levarem as pessoas a serem aquilo que não são, poucos se escapam, ou nenhum...

Sem comentários:

Enviar um comentário