quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Poetry

"A poesia pode ser ridiculamente misteriosa, e tenho bem a certeza de que todos a entendemos de maneira diferente, numa fuga indecisa de nos revelarmos falamos, escrevemos, cantamos em verso, todos nós somos poetas, somos poesia por muito complicado que seja para muitos entendê-la. Não a entendo, interpreto-a segundo as minhas próprias vivências, penso poeticamente, olho poeticamente o mundo, meu coração bate a um ritmo poético como as asas de uma borboleta, tudo o que se expresse de qualquer forma, seja cor, som, movimento ou até silêncio é poesia, e é porque o diz misteriosamente ao mundo, por que o diz e o diz secretamente em código.
Tudo pode ser poesia mesmo quando é dito algo simples, mas por mais vulgar que seja, tudo se pode desdobrar em palavras entrelaçadas, tudo pode ser o que não é quando a poesia fala, quando a melodia a traduz, quando o silêncio a descobre.
Eu falo, eu simplesmente dito palavras, mas serão apenas palavras ou serão poesia? Tudo se esconde e se descobre, tudo se afunda e se redescobre, em algum ponto da vida, em algum momento de marca tudo será poesia, tudo o que seria simples será literalmente confuso, misterioso, tudo será poesia, porque tudo o é mesmo antes de ser revelado"

Sem comentários:

Enviar um comentário