sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Pergunto-me constantemente onde será que este planeta vai parar. Muito sinceramente vejo-o completamente perdido no meio de coisas inúteis.
Todo mundo é uma rotina, tempo sincronizado, tudo é planeado, e o que não é projectado é surpreendentemente mau.
As pessoas fecham-se, temem, constroem barreiras á volta de si próprias, imaginam obstáculos á sua frente, receiam avançar e subir ao topo do mundo.
Eu mudo o meu olhar mas cortam-me o suspiro, tudo o que me envolve é ilusão, põe em desordem os meus pensamentos mudos.
Temo que já não exista nada que me quebre o ritmo respiratório, que me deixe impressionada positivamente, tenho medo que já não haja nada que me mova para outras babilónias, que me mova para outras sensações, diferentes.
Pertencemos aquilo que nos faz sentir vivos, não pertencemos ao mundo e mesmo assim o mundo arrasta nos com ele em missões contraproducentes. Este aglomerado de elementos devia fazer-nos voar para um céu mágico, não para um buraco sem fim, sem fundo, sem luz...

Somos guiados por regras não pelo instinto, somos levados pela opinião das pessoas e não pelo ritmo do vento, somos perdidos no mundo, cobardes, ridículos, admitamos que, jamais seremos independentes, estamos dependentes de todos e de tudo por muito autónomos que pareçamos ser…



1 comentário:

  1. Concordo mas tanto contigo. Cada vez mais, vai de mal a pior :$

    ResponderEliminar