sábado, 26 de junho de 2010

"You just keep tuggin, pushin, pullin on my little heartstrings..."

Continuas puxando com força, empurrando, puxando as cordas do meu coração como se eu fosse uma marioneta, esse teu grande mistério, desapareces e apareçes, deixas-me com vontade de ir á descoberta, presa, como nunca pensei estar, tinha andado zangada, irritada, por não conseguir explicar nada disto, agora percebo que não há nada para explicar, não há vocábulos possiveis... Consegues ser irritante, e não reages, mas de certo modo acho que aprendi a respeitar essa tua maneira independente de ser que me surpreende e me inquieta, pois eu que sou tão dependente de tudo, e estou habituada a isso...Sabes exactamente como me deixar sem palavras,  contrariando a minha natureza, porque me expresso através das letras, palavras, frases, textos... E o teu orgulho é de deixar-me completamente fora de mim, cheia de raiva, é a tua característica mais forte, mas aceito.
Há tanta coisa que nunca pensei que fosse aconteçer, afinal aquele terrível medo que me possuia acabou por se esconder de ti, e é estranho como depressa muda a opinião de alguém que sempre lutou contra isso, no meio de tudo, acho que devo agradecer, afinal coexistimos todos num mundo onde esse sentimento é universal, como será se o negar-mos a nós próprios e a outrem?
Rebentei as correntes, libertei-me, certas palavras brotaram da minha mente como se não houvesse amanhã, como se todas as oportunidades fossem naquele momento, e então estava eu a pronunciar palavras que me assustavam, que me fechavam em mim...
Tudo aquilo era como tabu...Deixou de ser!
Às vezes tenho receio que todos os meus termos sejam supérfluos para ti, tenho terror que não compreendas todos os meus vocábulos, que os interpretes mal... Quantas vezes clamei palavras sem sentido, era tudo mentira, nada do que dizia era verdade, mas todo este medo entalado em mim impedia-me de voar mais alto, mas assim que me esgueirei dele, pareçe que tudo permaneçeu igual e que afinal nada valeu a pena...
Contudo, o que eu disse, isso é verdade, e toda esta sequência de factos fortaleceu o meu ser subtil...
Hoje só te devo um obrigada sincero, porque me moves-te para outra babilónia...
E então, continuas mesmo assim puxando e empurrando as cordinhas do meu orgão prupulsor que ao palpitar, ele pulsa algures cá dentro cheio de sentimento...
"My heart is yours to have and hold or break..."

12 comentários:

  1. muito:)
    adorei :o "Rebentei as correntes, libertei-me, certas palavras brotaram da minha mente como se não houvesse amanhã, como se todas as oportunidades fossem naquele momento, e então estava eu a pronunciar palavras que me assustavam, que me fechavam em mim...
    Tudo aquilo era como tabu...Deixou de ser!"

    ResponderEliminar
  2. também se deve dizer que não tem de se agradecer (a)

    ResponderEliminar
  3. obrigada, que fofinha *.*
    eu já te adiciono, o msn hoje está estupido e não dá, mas eu vou ao ebuddy adicionar-te :p

    ResponderEliminar
  4. gosto deste :)
    e sim, ele estará cá sempre.

    ResponderEliminar