quarta-feira, 12 de maio de 2010

Não entendo
Porque me arrastas com mais força que o vento
Levas-me, prendes-me, vens e vais
Tantas palavras que nem sei quais

Foges, como um recluso da prisão
Tanto medo, tanto receio
Devias cair no chão
Enquanto andas no passeio

Tão diferente do que és
È mesmo aquilo que consigo ver
Não tenho medo que voltes e vás
Se já é tão grande o medo de temer

Já é grande o medo que sinto
Por já não te ter e tu ganhas-te
Mas foge enquanto podes
Foge enquanto não te tiro o que me roubas-te

3 comentários:

  1. - sim é tudo tal e qual como disseste ! :o
    ás vezes o silêncio é o nosso melhor amigo, e é só com ele que nós conseguimos por vezes abandonar o sitio em que estamos e ir até outro sitio, mas só com o silêncio. Só esse nos leva ao mais longe :D

    ResponderEliminar