sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Não me puxem...


Fecho os olhos, e sinto o vento bater-me na cara como um bocado de tecido de seda, ouço música, não há mais nada, e voo directamente ás estrelas, na viagem mais impressionante do silêncio, e de repente, o meu mundo já é outro, eu sou outra, e o meu olhar perante o mundo já parece outro, e sonho, como se não o houvesse chão onde pôr os pés, mas emfim, tenho de descer, momentos depois, mas não quero, quero arrastar o chão comigo, porque não posso apenas ter o bilhete de ida?
Porque não posso permanecer distante de tudo? Não me puxem para a terra, que eu não quero descer!
Como se fosse fácil encarar o mundo que carregamos... Não me puxem, fico bem aqui, hoje, e sempre!

Sem comentários:

Enviar um comentário