segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

(...)

Não procuro que me entendam, não preciso de compreensão, deposito tudo o que sinto e penso, na escrita e na música,e continuo de pé, como se nada se passasse na minha vida...

Sem comentários:

Enviar um comentário