sábado, 30 de janeiro de 2010

O que fui e o que sou

Sou eu, dependendo do que vivi
E quem eu fui, nunca conheci
O que agora sou, também não sei
Fui e sou o que nunca esperei

E em momentos não sei o que fazer
De tanto querer e não ter
Saudades de quem não conheci
Às vezes nem sei se realmente vivi

Grito, choro, e suspiro sozinha
Só por não encontrar esta alma minha
Duvido do que fui e do que sou
Já não sei como sou e estou

Feliz, triste, desesperada ou perdida?
Sinto-me sozinha á deriva com a alma ardida
Porque o que sou não é suficiente
Não é, por muito que tente
E as qualidades são milhões
Mas não cobrem os defeitos aos triliões
Sinceramente sou o que sou
Já nem interessa o que passou

Sem comentários:

Enviar um comentário